18
Fev 07

Título: O Jogo Misterioso

Colecção: O Bando dos Quatro

Autor: João Aguiar

Editora: Edições ASA

 

           

Data:

04-01-07

05-02-07

06-01-07

08-01-07

Página:

7-20

23-32

35-51

55-68

 

        

09-01-07

10-01-07

11-01-07

12-01-07

71-80

83-100

103-156

159-185

 

 

 

Resumo

 

 Tinha acabado o ano lectivo, e o Bando dos Quatro estava de Férias. O Álvaro e o Carlos tiraram boas notas, por isso tiveram direito a uma prenda. O Carlos quis um CD e o Álvaro quis um jogo de computador. O Álvaro ao comprar um jogo para o computador, o Sr. Garcia (o dono da loja) ofereceu-lhe outro.

No outro dia de manhã, o Álvaro recebeu uma carta da empresa Brincomática (a que fabricou tal jogo). Com a carta vinha uma disquete que dizia que ele tinha sido premiado e para ele ir ao Farol do Sitiado no dia seguinte de manhã.

De manhã cedo, o Carlos e o Álvaro lá foram, e encontraram mais uma carta que os mandava ir ao Parque infantil e que lá encontrariam outra pista.

No outro dia de manhã, lá foram e encontraram novamente uma carta que os mandava ir ao Cruzeiro da Mata do Morgado às 16:30h, tendo de ser acompanhado por um ou mais adultos.

Foram a casa do Tio João pedir-lhe que ele fosse com eles no dia seguinte ao tal sítio e ele aceitou de bom grado.

Lá foram então, à hora combinada, e quando lá chegaram não encontraram nada debaixo da pedra deslocada (como dizia na carta). Procuraram em redor e viram um moinho já velho e dentro dele estavam roupas e cabeleiras de homem e mulher. Resolveram explorar melhor a área em redor do moinho e ouviram alguém a gemer, procuraram e encontraram o Sr. Garcia (o dono da loja onde o Álvaro havia comprado o jogo). Pegaram nele e levaram-no a ser visto por um médico. O que ele teve não foi muito grave porque a bala do tiro que ele levou foi muito fácil de tirar.

A Catarina e o Frederico foram à boleia ao posto da GNR. Ficaram um bocado distanciados do local e uns turistas que eles conheceram na praia deram-lhes boleia. Perceberam que era um rapto quando um dos turistas lhes apontou uma arma. Para sorte deles, o condutor teve que travar a fundo e os dois aproveitaram para sair do carro e fugir. Só paravam no posto da GNR, contando ao guarda o sucedido, este mandou um jipe à procura do tal carro de turistas.

O Tio João foi, com a Catarina e o Frederico jantar a casa do Álvaro e do Carlos e aproveitou para contar tudo aos pais dos jovens. No final do jantar ouviram-se tiros e aperceberam-se que a casa estava rodeada por bandidos e polícias. Para segurança de todos, deitaram-se no chão e fecharam portas e janelas.

O Carlos e a Catarina saíram da sala rastejando e foram soltar o Pelópidas para atacar os bandidos, que acabaram por ser todos presos.

No dia seguinte, o Bando dos Quatro e o Tio João foram visitar o Sr. Garcia. Este contou que o agente Luís Ferreira não estava morto (o que toda a gente pensava).

O Sr. Garcia prometeu que quando abrisse a sua loja novamente, ofereceria ao Bando dos Quatro jogos de computador para recompensa deles por terem salvo a sua vida.

publicado por saracrisf às 20:57

Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO