28
Out 08

            Parti. Parti para a descoberta daquele mundo de que todos falam, mas de que ninguém conhece.

Estranhei. Seria assim aquele mundo, tão falado? Solidão, simplesmente a Solidão! Era a Solidão que reinava esse mesmo mundo. Um mundo onde um está aqui, outro ali, outro acolá…, cada um unicamente consigo próprio.
            Caminhei ao longo desse mundo, escuro e vazio. Não havia o Sol da Vida, mas sim o escuro da Morte. Por mais que caminhasse não encontrava ninguém.
            Continuei a caminhar. Parei! Estaria eu a ver bem? Esfreguei os olhos e voltei a olhar. Uma lágrima percorreu-me todo o meu rosto. Afinal, não era ele.
            Havia-me disposto a partir para aquele outro mundo, só para o reencontrar. Os dias passavam-se vagarosos, e eu, sempre a caminhar, esperançosa de o encontrar.
            Que mais me prenderia ali, senão ele? Nada. Senti o desejo de voltar, voltar para aquele mundo em que todos vivem.
            O arrependimento ecoava dentro do meu coração.  
publicado por saracrisf às 21:02

Dos meus olhos castanhos,

Observo a infinidade do Mundo,

A leveza dos rios,

A escuridão da noite,

A liberdade de um pássaro.

 

Na minha pele morena,

Sinto o calor do dia,

A suavidade do vento,

O frio da noite.

 

Os meus cabelos lisos,

Dançam ao som da melodia do vento,

Do palparrear dos pássaros,

Do sino da igreja,

Da campainha da escola.

publicado por saracrisf às 20:39

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO