18
Fev 07

Autores: Catarina da Fonseca

Título: A Malta do 2º C

Editora: Caminho

Data:

12-10-06

14-10-06

15-10-06

17-10-06

Página:

7-18

19-32

33-43

44-55

        

 

        

 

 

 

18-10-06

19-10-06

20-10-06

21-10-06

57-89

90-103

105-111

113-152

 

 

 

 

Resumo

 

 

         Era o primeiro dia de aulas do 2º C e a setôra pediu aos alunos que contassem alguma coisa sobre si.

         Dizia-se que esta escola estava assombrada pelo fantasma do Reitor Simões. Também havia um cão, o Birinhas, que andava sempre atrás da D. Isabel ou a ladrar à beira das salas.

Enquanto a Outra dava matéria, estavam praticamente todos distraídos, a Flávia desenhava florzinhas à volta do exercício, o João Nuno ouvia o Zé Pedro e o Ezequiel era o único que estava atento à aula. A Outra fez uma experiência com água, azeite e uma flor. A setôra foi buscar mais água e os alunos ficaram sozinhos na sala, e aproveitaram para baptizar o esqueleto que estava na sala, com o nome de Magalhães, e deitaram-lhe pela cabeça a baixo a água, o azeite e a flor, e logo de seguida a Outra entra e vê tudo aquilo e até acha piada.

         Chegou o dia de elegerem o delegado de turma, e os votos foram: 1 para o Ezequiel, 1 para o Camões e 24 para o Magalhães.         

         A Rosalina chega à sala e conta o sonho que teve com quase todos os setôres.

         Da sala onde estavam a ter aulas vê-se a casa do ministro, e a sua empregada anda sempre a espreitar à janela, e a turma do 2ºC anda sempre a vigiá-la. Algum tempo depois falha a luz, e pegaram em velas e em isqueiros para iluminar a sala. Eles estavam a fazer trabalhos para o Natal, mas tiveram que os fazer às escuras. Quase no final da aula chega a luz. Olham para os seus trabalhos e vêem que estão todos mal feitos, o Menino Jesus estava com um olho de cada cor, o bordado da Alzirinha dizia «Menino Jasus» …

         Passaram-se as férias do Natal e quando recomeçaram as aulas todos tinham novidades para contar.

         A setôra de Inglês tinha um pavão colorido, que tomava o pequeno-almoço com ela, e que aprendeu a falar inglês com a dona. O pavão vinha para a janela despedir-se de dona que ia dar aulas.

Nesse dia lá foi a Flávia para a escola, à chuva, a ler o jornal. Chegando à escola mostrou aos colegas as notícia que vinham no jornal, 6 gémeos que nasceram na Suécia, uma freira que fugira do Convento, uma bailarina que torcera o pé no palco, tiveram todos a lamentar as desgraças.

O dia de Carnaval chegou. Todos foram vestidos de formas diferentes, vestidos de Camões, a Flávia foi vestida como uma antepassada sua, outro foi vestido de Dinossaurus-Rex, outra foi vestida de princesa.

Em História tinha chegado à lição 50 e, como era quase impossível chegar à 100, resolveram comemorar com uma peça de teatro, sobre os reis de Portugal. No dia seguinte fizeram uma visita de estudo a um monte com a Inês de Castro. A meio perderam-se, mas a setôra encontrou-os depois de já terem encontrado uma galinha, a Filipa. Levaram-na para a escola.

         O setôra de História tinha programado uma visita de estudo a um Museu, mas como estavam todos os setôres ocupados, foram sozinhos. O guarda do Museu não os queria deixar entrar por não irem com o setôr. Acabaram por telefonar à Outra, e ela foi ao Museu falar com o guarda. O guarda finalmente deixou-os entrar.

A Outra ficou de baixa e resolveram fazer-lhe uma surpresa e foram todos a casa dela. Tocaram à campainha de casa da Outra, ela abriu a porta e estiveram para lá a falar. Algum tempo depois vieram embora.

Na aula de Educação Física fizeram um jogo de futebol: 2ºC vs Baleias. Baleias ganhavam por 124-0, mas a Alzirinha salva a sua equipa ao marcar um golo. Depois de acabar o jogo viram o Birinhas comer a Filipa. Enterraram-na no quintal.

As aulas terminaram e tiveram todos a pensar no futuro. O João Nuno disse que ia comprar um barco e tornar-se pirata. A Flávia disse que quando fosse velhinha ia num cruzeiro às Caraíbas. O Ezequiel disse que ia ser ministro. A Alzirinha disse que ia ficar a ler «Os Lusíadas». A Luzinha disse que ia visitar o país onde nasceu. E o Zé Pedro ia trabalhar nas estufas.     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por saracrisf às 20:47

Boa noite...
Achei o blogue por acaso e não resisti a comentar este post.
"A Malta do 2º C " é maravilhoso, tenho 37 anos, li-o na minha fase infanto-juvenil e nunca mais esqueci.
O reitor Simões, o esqueleto Magalhães, a Alzirinha e "Os Lusíadas"... FANTASTICO!
Mas o que mais me prendeu foi o próprio universo daquela escola, em cada linha via perfeitamente a escola onde frequentei o antigo "primeiro ano" do ciclo preparatório, o agora primeiro ano do segundo ciclo, a escola do bairro da Sacor na Bobadela.
A minha filha, quando aprender a ler, vai com certeza gostar!
Um bem haja.
Pedro Correia a 30 de Setembro de 2011 às 21:22

Espetacular está muito bem resumido
margarida a 29 de Novembro de 2014 às 12:09

O resumo é tão grande.
Débora a 16 de Janeiro de 2017 às 18:58

Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO